Relógio Bordado de Guimarães

O Bordado de Guimarães *, um dos bordados mais antigos de Portugal, é um trabalho delicado e rigoroso a fio de algodão sobre linho caseiro. Uma arte no feminino que evoluiu do bordado popular usado nos trajes regionais. A originalidade destes bordados está na preponderância do ponto canutilho em relação à grande diversidade de pontos de agulha utilizados e na singularidade do desenho de motivos geométricos de inspiração floral.

Relógio de pulso com movimento japonês; 3 ATM; isento de níquel; caixa posterior em aço inoxidável; caixa acrílica com cartonagem; movimento com 2 anos de garantia.

Prod.: Relógio Bordado de Guimarães

24,75 

Encontre uma loja
Fields marked with an * are required

Diga-nos onde está…

REF: 10112 Categoria: Colecções: .

Podemos afirmar que o bordado de Guimarães é antes de mais produto de um território fértil em águas e em terras para receberem o cultivo do linho. De facto, a riqueza natural do território vimaranense vai ser propícia à fixação do homem e é esse homem que vai encontrar, no seu engenho e neste território, os meios necessários ao cultivo do linho e à feitura do pano.

(…)O bordado de Guimarães é considerado o que designamos por «bordado rico», ou seja, um bordado executado a linha branca normalmente sobre pano de linho cru e fino, por vezes de origem estrangeira, e no qual são utilizados diversos pontos minuciosa e delicadamente bordados por mãos femininas bem treinadas. O termo «bordado rico» é usado ainda hoje pelas bordadeiras vimaranenses, querendo com ele fazer a distinção entre o bordado atrás descrito – o «bordado rico», e o bordado popular, executado pelo povo e para o povo. Este «bordado rico» português, em que eram feitos os bragais das jovens casadoiras da burguesia e da nobreza rica oitocentista, fazia-se e usava-se em todo o País, talvez com influências dos bordados de outros países europeus. O bordado rico, executado por senhoras vimaranenses é destinado a ornamentar principalmente roupa de cama e roupa interior.
No final do século XIX início do século XX, o bordado de Guimarães, que nestes seus princípios talvez fosse preferível designar por «bordado popular de Guimarães» vai ser utilizado principalmente no traje do povo. Vai ornamentar a camisa de linho do lavrador, numa zona muito específica, o peitilho, bordado com cor branca, e complementado pela utilização da cor vermelha no nome bordado na ratoeira ou tabuleta. Era vulgar o nome bordado na tabuleta ser executado a ponto de cruz e não em bordado de Guimarães. (http://www.adereminho.pt/)

Estes produtos são inspirados nos motivos do Bordado de Guimarães, que é um produto artesanal certificado pela Adere-CERTIFICA, com Marca Registada através de IG-Identificação Geográfica pertencente à “ A OFICINA” de Guimarães.

A marca Terra Lusa apresenta várias coleções de produtos onde cada referência é um tributo ao Património Cultural de Portugal:cadernos, relógios, leques, eco sacos, mini guarda-chuvas, caixas de óculos, panos microfibra e capas ajustáveis para livros, todos divididos em temáticas com raízes em elementos tipicamente portugueses.

800 Anos de História, Cultura e Tradição que inspiraram a conceção das várias peças em que a tecnologia de qualidade se alia ao design contemporâneo

Peso 83 g